Celebrado anualmente no dia 12 de maio, o Dia Internacional do Enfermeiro foi criado pelo Conselho Internacional dos Enfermeiros e a data escolhida remete para o aniversário de Florence Nightingale, considerada a fundadora da enfermagem moderna. A propósito da data, o Presidente da República agradeceu e elogiou o contributo dos enfermeiros portugueses no combate à pandemia. Um outro texto publicado hoje no Observador refere que este ano, o dia é vivido “com um «sentido e sentir» emocional diferente e muito presente”, devido à pandemia que “veio pôr à prova o trabalho, o valor dos Enfermeiros e demonstrar que são insubstituíveis em qualquer sistema e equipa de saúde”.

Neste webinar quatro enfermeiros partilharam as suas experiências em serviços de atendimento permanentes, enfermarias e unidade de cuidados intensivos, falaram sobre a importância destes profissionais para ajustar a respostas das unidades durante a pandemia e no acompanhamentos dos doentes e das famílias num contexto tão particular como o atual.

Quanto à importância dos enfermeiros no combate à pandemia, as respostas foram unânimes: “a relação do enfermeiro com o doente é por natureza privilegiada” e este profissional estabelece uma proximidade que lhe permite “esclarecer, informar com honestidade e acompanhar o doente ao longo de todo o processo”. Além da comunicação com os doentes e com as famílias, o enfermeiro tem também um papel fundamental na convergência das equipas, na medida em que “é aquele que consegue perceber o doente e o serviço num todo e, consequentemente, aquilo que é preciso mudar”.

Quanto ao futuro, - e porque tal como já aqui escrevemos “estamos numa maratona” -, os principais desafios apontados pelos oradores prendem-se com a reorganização das unidades de forma a encontrar um ponto de  equilíbrio e abandonar a dicotomia doentes COVID-19 e doentes não COVID, a necessidade de manter a comunicação interna clara e eficaz para garantir a segurança de profissionais e doentes, à medida que os hospitais retomam a atividade programada e, no fundo, “manter a calma no caos” face aos vários prognósticos que chegam relativamente a uma possível segunda vaga da doença.

Neste webinar participaram António Almeida, Enfermeiro PPCIRA e Gestor de Risco no Hospital CUF Viseu; Daniela Silva, Enfermeira de Atendimento Permanente no Hospital CUF Porto; João Branco, Enfermeiro Gestor da Unidade de Cuidados Intensivos no Hospital CUF Infante Santo; e Rosa Galvão, Enfermeira Gestora do Serviço de Especialidades Médicas 1 no Hospital de Vila Franca de Xira.

“Noites Contra o COVID-19” é um ciclo de webinars promovido pelo projeto COVID19PTCiência que junta a Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública (ANMSP), a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), a Evidentia Médica e a UpHill. A sessão dedicada à perspetiva da enfermagem no combate à pandemia teve o apoio da CUF Academic and Research Medical Center.